Saúde Estadual lança campanha de prevenção da dengue e chikungunya

O Governo do Estado adere à Campanha Nacional de Prevenção da Dengue e Chikungunya, que acontece no dia 6 de dezembro em todo o país. A iniciativa contempla a divulgação de orientações sobre como evitar a proliferação dos mosquitos Aedes, além de alertas sobre a gravidade das enfermidades.

As duas doenças são causadas por vírus transmitidos por mosquitos do gênero Aedes, um vírus do gênero Alphavirus transmitida por mosquitos do gênero Aedes, sendo Ae. aegypti e Ae. albopictus os principais vetores “Como cerca de 80% dos criadouros estão nas residências, o papel de cada família, para verificar e eliminar possíveis locais que acumulam água, será reforçado nesse dia D. A ação será repetida no dia 7 de fevereiro, com o Dia D+1, além de outras ações coordenadas que serão desencadeadas pelos 141 municípios de Mato Grosso, no combate as doenças”, disse o coordenador de Vigilância Epidemiológica do Estado, Sandro Neto.

De acordo com os dados do Sinan online, de 1º janeiro a 13 de novembro de 2014 Mato Grosso registrou 10.774 casos notificados de dengue, com 06 ocorrências de óbitos, sendo 05 confirmados (01 Cuiabá, 01 em Sinop e 01 em Rondonópolis, 01 em Alto Paraguai e 01 em Alta Floresta) e 01 em investigação (Cuiabá). No ano de 2013 as notificações no mesmo período foram de 44.173 casos notificados no Estado.

Na última sexta-feira (21.11), uma mulher de 26 anos que esteve na Venezuela, moradora do município de Pontal do Araguaia (512 km de Cuiabá), procurou Unidade de Saúde por apresentar febre, dores no corpo. Como a Venezuela é um país de alta transmissão do vírus chikungunya, a Vigilância em Saúde do Estado está tratando o caso como suspeito da doença. Os exames laboratoriais da paciente foram encaminhados para o Instituto Evandro Chagas (PA) que é o Laboratório de Referência para Mato Grosso no diagnóstico da doença. Os resultados dos exames devem ficar prontos em 15 dias.

 

Períodos de Incubação Chikungunya – Os mosquitos adquirem o vírus de um hospedeiro virêmico. Após um período de incubação médio de dez dias, o mosquito torna-se capaz de transmitir o vírus a um hospedeiro suscetível, tal como um humano. Em humanos picados por um mosquito infectado os sintomas da doença tipicamente aparecem após um período de incubação intrínseco médio de 3-7 dias (intervalo 1-12 dias).

 

Apresentação Clinica da Doença – A partir da picada por mosquito infectado com o CHIKV, a maioria dos indivíduos apresenta doença sintomática após um período de incubação de dez dias. Porém, nem todos os indivíduos infectados com o vírus desenvolvem sintomas. Análises sorológicas indicam que 3% a 28% das pessoas com anticorpos anti CHIKV apresentam infecção assintomática. Indivíduos agudamente infectados por CHIKV, seja clinicamente aparentes ou assintomáticos, podem contribuir para a propagação da doença se os vetores que transmitem o vírus estiverem presentes e ativos na mesma localidade.

O CHIKV pode causar doença aguda, subaguda e crônica. Na fase aguda a doença é mais comumente caracterizada por febre de início súbito (tipicamente maior que 39°C) e dor articular intensa. Outros sinais e sintomas podem incluir cefaleia, dor difusa nas costas, mialgia, náusea, vômito, poliartrite, erupção cutânea e conjuntivite.

 

Fonte: SECOM/MT

Verifique também

Aniversário João Pedro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *